NÚCLEO DO PORTO

RUA JOAQUIM TÁVORA Nº 80,
VILA MATIAS - SANTOS SP
TELEFONE: (13) 3225-5428

A PRESSÃO COMEÇA NAS BASES!

O Projeto aprovado no Congresso Nacional que determina novas regras para o reajuste anual dos salário mínimo foi vetado pela Presidente Dilma Roussef. E com isto os milhões de aposentados, aqueles que nos últimos anos estão recebendo rendimentos acima desse valor, são prejudicados pois os percentuais aplicados para os reajustes no mês de janeiro de cada ano são insuficientes. Os organismos que atuam nessa área já divulgavam que o Projeto teria de ser vetado, para não aumentar os problemas com os fundos previdenciários. E são constantes as insinuações da necessidade de impor regras cada vez mais rígidas para manter os pagamentos mensais de um efetivo que a cada ano sofre um grande aumento de participantes. E isto tem a ver com a melhoria das condições que estão elevando o nível de vida da nossa população, com reflexos na idade. Segundo pesquisas cientificas, o brasileiro está vivendo no mínimo até os 74 anos de idade. O que se reflete nos fundos previdenciários. A decisão governamental,provocou a reação dos aposentados, repetindo o que vem acontecendo há um bom tempo. Mas é preciso destacar que se uma parcela significativa reclamou, tecendo críticas ao Governo Federal, muitos foram os que ficaram em silêncio. E não se pode deixar de mencionar que são rotineiras as reclamações pontuais, quase como um desabafo emocional. E feitas de formas isoladas, sem manifestações coletivas, perdem muito na força que poderia influenciar os encaminhamentos que se fazem necessários.E alguns militantes que são ligados a Entidades sindicais fizeram também pronunciamentos a órgãos de Imprensa, indicando a necessidade de organizar protestos, promovendo a ida de caravanas à Brasilia para cobrar dos parlamentares uma ação contrária à decisão governamental. E até mecanismos eletrônicos foram indicados para fazer protestos e ameaças. Toda e qualquer atitude tem sua validade, mas é preciso avaliar se isto coloca a possibilidade de obtenção de resultados positivos.Por sinal estas questões motivaram debates em Plenárias do MAP.LP-Movimento de Aposentados e Pensionistas do Litoral Paulista, onde vários pontos foram levantados. Esse organismo, o MAP.LP já está atuando há seis anos e desde o ano passado houve uma deliberação votada em Assembleias de tentar motivar os aposentados de todas as categorias a se organizarem em campanhas salariais. É a repetição da forma de atuar quando os aposentados estavam na ativa. A experiência está ainda necessitando de mais empenho e também é discutida qual a forma de motivar as direções das centenas de organizações de aposentados em todo o Brasil, sob a coordenação das Centrais Sindicais, a atuarem de forma unitária, apresentando pauta específica onde conste um percentual de reajuste e buscando também a recuperação das perdas dos anos anteriores, além de outras reivindicações. Mas no caso específico do Projeto que foi vetado pela Presidente Dilma e que vai retornar para o Congresso, os militantes do MAP.LP decidiram agir de forma diferente. E tomaram a iniciativa de convidar os três deputados federais da Baixada Santista para discutir a derrubada do veto, quando o Projeto for colocado na pauta do Congresso,dentro do prazo previsto no Regimento daquelas Casas de leis.. Mas a proposta não pode ficar limitada apenas aos três parlamentares. É preciso que o Movimento Sindical representado pelas Centrais Sindicais receba a sugestão e avalie uma forma de motivar suas bases a se mobilizarem, colocando a proposta em prática. Por certo a atitude terá reflexos positivos, pois os parlamentares terão de justificar seu comportamento nas suas bases eleitorais. Vai dar certo? A resposta virá em breve tempo, e os militantes do MAP.LP estão confiantes num resultado positivo.

Uriel Villas Boas - Secret. de Previdência da Fitmetal/CTB- Coordenação do MAP.LP - 03.07-15

facebook-1 twitter

Porto e Poesia

Visitantes on-line

Temos 19 visitantes e Nenhum membro online